O melhoramento genético e a nutrição animal como diferencial na produção leiteira

Uma das principais causas da baixa produtividade do gado leiteiro é a qualidade genética do animal e para produzir mais e melhor, antes de tudo, é preciso ter uma boa genética. Isso se faz possível através do investimento em melhoramento genético, incorporando genes que possuem características desejáveis para alta produção dentro do rebanho leiteiro e a retirada de genes indesejáveis. É um instrumento com o objetivo de aumentar a produtividade para o produtor leiteiro. Esse processo vem sendo aplicado em pequenas, médias e grandes propriedades e os resultados são cada vez melhores. Mas vale lembrar que somente a genética não traz todos os benefícios. Tão importante quanto, a nutrição animal é fundamental para que a expectativa de alta produtividade seja alcançada.

IPORÃ DO OESTE
Apresentamos o caso do produtor Alcides Welter, da Linha Macucozinho, em Iporã do Oeste, Santa Catarina. Com duas propriedades na região, ele desenvolve em uma delas a formação de novilhas e na segunda atividade leiteira. “Em Mondaí trabalhamos com a formação de novilhas com um plantel de 70 animais. Com dois meses esses animais vão para essa propriedade onde ficam até atingirem 180 quilos. Entre 13 a 14 meses elas precisam emprenhar com o peso ideal e ficam preparadas para o pré parto”, enfatizou Alcides que complementou, “esse investimento em melhoria genética traz resultados positivos para nossa produção de leite, junto com a ração certa, a produtividade aumenta e a nossa renda também”.

RAÇÃO
Por sua vez a propriedade da atividade leiteira tem uma estrutura preparada para que os animais possam ter o que há de melhor em ambientação e nutrição. “Aqui na Linha Macucozinho temos um plantel de 110 animais, sendo 90 em lactação, o que traz uma média hoje de 26,8 litros cada”, explicou o produtor que acrescentou, “estamos utilizando as rações da Primato há mais de um ano. Iniciamos com a 18% especial, passamos para 20% e agora estamos com a 22% completa e está superando nossas expectativas, pois a produção está sendo positiva, os animais não tem problema algum de sanidade. Juntamente com melhoramento genético, estamos satisfeitos”.

PRIMATO
Segundo Alcides, a parceria com a Primato através do representante comercial em Iporã do Oeste está sendo positiva. “Posso classificar como muito boa a relação com a Primato, através da Nutriceres, que foi quem me apresentou a ração. Tivemos aumento de produtividade e com o acompanhamento que recebemos, a tendência é sempre melhorar, para que todos nós envolvidos possamos ter uma rentabilidade maior”, enalteceu o produtor que concluiu, “espero que continue positiva essa parceria, assim a gente vai sempre continuar utilizando a ração da Primato”.