Cooperativas do Paraná sobem posições no ranking VALOR 1000 das maiores empresas do país

Praticamente todas as cooperativas paranaenses listadas entre as mil maiores empresas do país pelo jornal Valor Econômico ascenderam na classificação do ranking deste ano, com destaque para a Primato, que subiu 80 posições, a Coagru 75 e a Coasul 54. Juntamente com elas, figuram no levantamento a Coamo, C.Vale, Lar, Cocamar, Copacol, Integrada, Agrária, Castrolanda, Frísia, Frimesa, Coopavel, Copagril e Capal, somando 16 cooperativas do Paraná entre as 49 cooperativas de todo o país presentes no anuário Valor 1000.

CLASSIFICAÇÃO
Esta é a 19ª edição da pesquisa, feita em parceria com a Serasa Experian e Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Eaesp). Anualmente mais de três mil empresas são convidadas a participar com o envio de suas demonstrações financeiras e o preenchimento de questionários. De acordo com os organizadores, o número de balanços analisados desta vez aumentou 23,5% em relação ao ano anterior (de 1.200 para 1.482). Para chegar às mil maiores, as empresas são classificadas a partir de oito indicadores contábeis e financeiros: receita líquida, margem Ebitda, giro do ativo, margem de atividade, rentabilidade, cobertura de juros, liquidez corrente e crescimento sustentável. Entre eles, o de maior peso é a receita líquida, seguido da margem Ebitda e da rentabilidade do patrimônio. Além disso, as empresas são agrupadas em 28 setores e também são indicadas as campeãs por região.

MAIORES DO SUL
Na lista das 50 maiores empresas do Sul do país, há 14 cooperativas, entre as quais 11 são paranaenses: Coamo (3º), C.Vale (10º), Lar (14º), Cocamar (23º), Copacol (30º), Integrada (33º), Agrária (34º), Castrolanda (36º), Frísia (43º), Frimesa (44º) e Coopavel (45º).

SETOR
No setor agropecuário, a Coamo está no topo da lista, em 1º lugar, e a C.Vale ocupa a 9ª posição na classificação final, que contabiliza a pontuação obtida nos oito critérios do ranking, em âmbito nacional. Em receita líquida, a Coamo também está em primeiro lugar; C.Vale em 2º; Lar em 3º; Cocamar em 4º e Integrada em 10º. Na margem Ebitda, a Coamo situa-se na 8ª posição e a Coopavel na 10ª. No critério rentabilidade, a Coasul aparece em 7º e Coamo em 9º. Já em margem de atividade, a Coamo está em 6º lugar. No item liquidez corrente, a Coamo está posicionada em 3º. Em cobertura de juros, a Capal está em 8º. No item crescimento sustentável, a Coasul figura em 2º, a Frísia em 4º, a Capal em 6º e a Castrolanda em 8º.

SAÚDE
Entre os 50 maiores planos de saúde, as paranaenses Unimed Curitiba, Unimed Londrina e Unimed Regional Maringá estão, respectivamente, em 9º, 36º e 37º lugares. Nos destaques, a Unimed Curitiba está listada em 17º entre as maiores em lucro líquido; em 8º entre as 20 maiores empresas em ativo total e em 10º lugar entre as maiores em patrimônio líquido. E, entre as 20 maiores em aplicações financeiras, a Unimed Curitiba ocupa a 7ª posição e o 12º lugar entre as 20 que mais cresceram em contraprestações efetivas.

CRÉDITO
O cooperativismo está presente também no ranking do Valor 1000 referente ao setor financeiro. O Sicoob ocupa a 8ª colocação e o Sicredi a 10ª entre os 100 maiores bancos brasileiros. O Bancoob figura em 7º entre os 20 maiores em operações de crédito; em 6º entre os 20 maiores em depósitos totais; em 7º entre os 20 maiores em receita de intermediação; em 6º entre os 20 com melhor resultado operacional, sem a equivalência patrimonial; em 6º entre os 20 maiores em patrimônio líquido; em 6º entre os 20 maiores em lucro líquido; em 14º entre os 20 com melhor rentabilidade operacional, sem a equivalência patrimonial, entre os grandes. Entre os 20 mais rentáveis sobre o patrimônio, entre os grandes, está em 9º; em 18º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes; em 9º entre os bancos que mais cresceram em operações de crédito, entre os grandes e entre os bancos que mais cresceram em depósitos totais, entre os grandes.

PRIMATO
“É com grande satisfação que recebemos esta pesquisa realizada pelo Valor 1000 das maiores empresas do país. E com o destaque para a Primato que subiu 80 posições em comparativo com o ano anterior. Isso é fruto de um trabalho em conjunto da diretoria, gestores, encarregados e todos os colaboradores, mas principalmente, nosso cooperado, que acredita em nossos esforços na diversificação de negócios, no investimento em tecnologia, infraestrutura e na abertura de novas oportunidades para a Primato e as localidades onde estamos inseridos”, enalteceu o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter que concluiu, “seguindo nosso planejamento estratégico, esperamos comemorar muitas outras conquistas como esta”.