A Vocação da pecuária leiteira no centro sul do Paraná

Para se desenvolver um trabalho de qualidade, seja qual for a profissão, precisa ser feito com dinamismo, empenho e organização. Mais do que isso, é preciso identificar as habilidades para que esse trabalho não se torne um fardo, mas sim, uma vocação. No campo é comum encontrarmos casos de famílias inteiras que dedicam seu tempo e esforço no trabalho, seja na agricultura ou pecuária e são muitos os exemplos de vocação para essas atividades, principalmente na de gado leiteiro. E para exemplificar essa vocação apresentamos a família Zarpelon.

IRATI
A cidade de Irati fica no sudeste do Paraná, tem uma população de 59.030 (Dados do IBGE de 2013). Através dos representantes comerciais e da assistência técnica da Primato que novos produtores estão iniciando o trabalho com a linha de rações Prima Raça. Esse é o caso da família Zarpelon. O pai João Carlos, a mãe Zeni Maria e o filho Emerson Luiz atuam juntos na atividade leiteira e seguem a sua vocação para atividade. A propriedade fica na Linha Alvorada, zona rural de Irati, Paraná. “Nossa propriedade tem 30 hectares e a atividade principal é a de leite. Ainda temos uma pequena parte que usamos para a silagem, pois antes de iniciarmos com a ração da Primato, não utilizávamos rações industriais”, explicou Emerson.

RAÇÃO
Segundo Emerson, foi a partir de março deste ano que iniciaram o uso da ração da Primato. “Nosso plantel é de 100 animais, sendo 44 em lactação com um média geral de 21 litros cada. Devido a ser a primeira ração industrial que usamos, nos primeiros dias os animais precisaram se adaptar, mas após isso foi bem tranquilo e hoje estão bem acostumados com a ração”, enfatizou o cooperado que ainda complementou, “usamos a Prima Raça 20% normal há mais de três meses e percebemos que os animais estão adaptados, com boa produtividade e a sanidade do plantel em dia, por isso, estamos satisfeitos e espero que assim seja sempre”. A família Zarpelon se tornou cooperada e vem utilizando a ração Prima Raça através da agropecuária representante no município.

COOPERATIVA
Por ser uma relação nova, ainda é recente a avaliação da família Zarpelon. Segundo Zeni Maria, a expectativa é de que seja uma boa e longa parceria. “Como começamos a parceria com a Primato há alguns meses ainda é cedo para avaliar por completo, mas até o momento estamos contentes, principalmente com a ração e o resultado no plantel”. A matriarca da família concluiu falando sobre a assistência técnica. “Uma das vantagens está sendo a assistência técnica, que vem fazendo a visita junto com a agropecuária que temos relação há um bom tempo. Com essas informações nós podemos fazer a produção melhorar e aumentar o nosso lucro, que é sempre bem-vindo, então, espero que a relação com a Primato seja longa e duradoura”.